Recomendações

Sobre o comportamento individual e coletivo

Os rondonistas, isolados ou em conjunto, são considerados pelas comunidades que os recebem pessoas exemplares, de boa conduta moral e ética, de quem esperam receber lições de boa educação, de boas maneiras e de cidadania.

 

Por isso, todos os rondonistas devem tomar cuidado com suas atitudes, seus atos e suas palavras.

 

Devem ter cuidado com suas roupas, evitando, trajes sumários ou muito apertados. Dentro de organizações militares, o uso de bermuda é proibido.

 

Devem evitar o envolvimento afetivo com pessoas da comunidade.

 

Os rondonistas devem preservar a imagem do projeto e das instituições que representam, pois estarão sempre sendo observados pela comunidade.

 

Devem, sobretudo, não prometer o que não podem cumprir e respeitar as pessoas e os costumes locais.

 

O Projeto Rondon não é “turismo social”, tampouco “lazer cívico”.

 

Significa doação, abnegação, brasilidade, iniciativa, esforço, criatividade, determinação, dedicação, sensibilidade e muito trabalho. O rondonista representa não só o Projeto Rondon, mas também a sua instituição de ensino superior.

 

Importante:

 

1 – É vedado ao rondonista trocar passagens aéreas ou rodoviárias fornecidas pelo Projeto Rondon sem a expressa autorização da Coordenação-Geral do Projeto Rondon. A alteração na data de retorno (troca da passagem) será custeada pelo rondonista e implicará no cancelamento automático do seu seguro de vida e de acidentes pessoais a partir do momento do afastamento de sua equipe.

 

2 – O rondonista deverá preparar e conduzir sua bagagem de acordo com o período de dias previsto para a operação. Em qualquer caso, a bagagem individual é limitada a 20 quilos. O rondonista deve dar preferência a roupas leves e práticas, como calça jeans, camiseta e tênis. Deve incluir, também, uma muda de roupa de cama e de banho.

 

3 – O material coletivo da equipe deve ser acondicionado separadamente, em volumes específicos. Em princípio, a bagagem coletiva está limitada a 56 quilos de peso e 1 m³ de volume.

 

4 – Todo material individual e coletivo deverá ser identificado com o nome do rondonista, da instituição de ensino superior a que pertence e do seu município de destino. O rondonista deverá identificar, ainda, todos os itens do kit-rondonista, tão logo sejam recebidos.

 

5 – O rondonista deve incluir na sua bagagem os medicamentos de uso mais frequente, material de costura, material de higiene pessoal, absorvente íntimo, protetor solar, protetor de ouvido, óculos de sol, guarda-chuva, lanterna, baterias, repelente e o que mais julgar necessário.

 

6 – O rondonista não deve levar objetos caros, como jóias, relógios e aparelhos eletrônicos. Caso sejam imprescindíveis, deve mantê-los sempre consigo. Deve levar algum dinheiro, para possíveis eventualidades.

 

7 – Antes de cada operação, a Coordenação-Geral orientará as equipes quanto às restrições para o transporte da bagagem individual e do material coletivo, adaptando estas recomendações às características do meio de transporte a ser utilizado e às especificidades de cada operação.

 

8 – Antes de cada embarque e após cada desembarque, todo rondonista e a equipe devem conferir sua bagagem individual e coletiva.

 

9 – O Projeto Rondon não se responsabilizará, em qualquer hipótese, por furto ou extravio de bens de rondonistas ou da equipe ocorridos durante a operação.

RONDON

Ministério da Defesa - Esplanada dos Ministérios
Bloco Q - Cep: 70.049-900 - Brasília/DF

Fale Conosco

MINISTÉRIO DA DEFESA