22/01/2017

Cerimônia animada marca a abertura oficial da Operação Tocantins

   Um dia antes de viajarem para as cidades destinos das ações da Operação Tocantins, os rondonistas participaram da cerimônia de abertura da operação. A cerimônia foi realizada no auditório da Universidade Federal do Tocantins (UFT), na manhã de sábado (21). Logo no início, o cerimonial destacou a presença do ministro do Superior Tribunal Militar, José Barroso filho, do secretário de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto do Ministério da Defesa, Tenente-Brigadeiro do Ar Ricardo Machado Vieira, do coordenador geral do Projeto Rondon, Brigadeiro de Infantaria Augusto Cesar Amaral, da secretária de Educação, Juventude e Esportes do estado do Tocantins, Wanessa Sechim, da vice-governadora do estado do Tocantins, Claudia Lelis, do vice-reitor da UFT, Luiz Eduardo Bovolato, do Prof. Dr. Roberto Carlos Miguel, o professor que participou de mais operações do Projeto Rondon entre os professores que integram a Operação Tocantins e das comitivas de algumas das cidades que serão atendidas pela operação.

            A introdução da cerimônia foi dada pelo Capitão de Fragata José Antônio Gomes da Silva, que apresentou aos rondonistas um panorama geral do estado, do Projeto Rondon e da Operação Tocantins. Durante a apresentação do CF o público pôde conhecer melhor uma nova identidade visual, criada em homenagem ao cinquentenário do projeto. Além disso, os rondonistas receberam orientações sobre as ações que vão desenvolver e normas gerais de comportamento. O objetivo é incutir no rondonista o espírito que ele precisa ter, sobretudo o sentimento de empatia e coletividade que deve, sempre, sobrepor-se à individualidade.

Um ponto alto da manhã foi a apresentação dos gritos de guerra de cada equipe, criados com muita criatividade e entoados com entusiasmo. Paródias de músicas tradicionais ou mais contemporâneas, instrumentos musicais, músicas que exaltam a Instituição de Ensino Superior (IES) e as cidades em que vão atuar. A cada grito de guerra, os grupos engrossavam o coro e faziam da festa de uma equipe, a festa de todas.

            Na sequência, o cerimonialista leu para os rondonistas uma mensagem enviada pelo deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP), presidente da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados. Na mensagem, o deputado ressalta o Prêmio Darcy Ribeiro de Educação, concedido pela Comissão ao Projeto Rondon no ano passado. Segundo o deputado, com os rondonistas “viaja também a esperança de um Brasil mais generoso e menos desigual, onde quem tem mais possa ajudar os que têm menos e mudar sua condição”.

            Outra autoridade a se pronunciar foi a vice-governadora do Tocantins, Claudia Lelis. Com outros compromissos na agenda, o governador Marcelo Miranda não pôde comparecer. No entanto, ele já havia declarado aos rondonistas: “nas próximas semanas, o estado é todo de vocês”. Em seu discurso, a vice-governadora destacou o orgulho do estado em receber uma operação “de um projeto que, há 50 anos, vem promovendo cidadania ao povo brasileiro e, especialmente, com resultados concretos na melhoria da qualidade de vida das comunidades atendidas”. 

De acordo com Claudia Lelis, a ação de cada um dos mais de 300 rondonistas é de extrema importância para a população tocantinense. “O projeto Rondon será um momento enriquecedor para o nosso estado e as experiências vividas entre as comunidades, voluntários, entidades sociais e tantos outros parceiros, só poderão resultar em muitos bons frutos para nós”, afirmou. Ao fim do discurso, ela declarou aberta a Operação Tocantins, recebendo fortes aplausos.

            A última programação da solenidade foi a palestra “Educando para a esperança”, proferida pelo ministro do Superior Tribunal Militar, José Barroso Filho. Pautada numa abordagem humanista da educação, o ministro reforçou a importância da solidariedade e da empatia entre as pessoas na busca pela solução dos problemas sociais que o país enfrenta. Segundo José Barroso Filho, a educação necessita reconhecer que só é sustentável a educação interdominial, que empodera e emancipa. Em síntese, o ministro afirma que “educar é esperançar e não, esperar. Não é um processo passivo”.

            A partir de domingo a Operação Tocantins começa efetivamente, com o deslocamento das equipes para as 16 cidades tocantinenses em que ela vai ocorrer.

 

Redação: Thiago Furtado

 

Fotos: Adriano Debarba e Aghata Crews

 

 

Fonte: Comunicação Social Univali

Compartilhe Imprimir

RONDON

Ministério da Defesa - Esplanada dos Ministérios
Bloco Q - Cep: 70.049-900 - Brasília/DF

Fale Conosco

MINISTÉRIO DA DEFESA