25/07/2018

Rondonistas dão continuidade à Operação Palmares, em Alagoas

Desde que chegaram aos municípios, os rondonistas puderam, a cada novo dia de oficina, se deparar com os habitantes das pequenas cidades para trocar experiências e informações a fim de multiplicar conhecimentos e ações que busquem minimizar os problemas das cidades e promover o desenvolvimento nos municípios.

Em Novo Lino, cidade com 500 anos de história da cana-de açúcar, em que os trabalhadores rurais têm emprego por apenas 6 meses ao ano, tendo que ir buscar em outros municípios formas de sustentar suas famílias, a emigração masculina, o alcoolismo e jogos de azar foram os principais aspectos apontados como problemas pela população; a emigração masculina faz com que as mulheres assumam a responsabilidade sobre a família, tornando-se suas mantenedoras. Todo o trabalho dos rondonistas no município baseou-se, principalmente, nessa realidade.

 

       


As oficinas de proteção e defesa dos direitos das pessoas idosas e de prevenção e enfrentamento da violência contra as mulheres foram desenvolvidas em parceria com o programa social Mulheres Mil, que é uma articulação da prefeitura do município com a Universidade Federal de Alagoas, na busca pelo empoderamento feminino e autonomia financeira das habitantes, por meio da microagricultura familiar. Na oficina de combate à violência destacou-se a linguagem leve e descontraída utilizada pelas rondonistas para conscientizar as mulheres sobre os tipos de violência, trazendo também respostas como a quem elas devem recorrer no caso de serem violentadas, agredidas ou até mesmo se tiverem seus direitos usurpados.

Outra oficina fundamental para o desenvolvimento de Novo Lino foi a de formulação de políticas públicas, voltada para servidores, conselheiros e secretários do município. Seu objetivo foi capacitar tal público por meio do Marco Lógico, metodologia participativa, mundialmente utilizada por organismos como ONU, PENUDI, CEPAL, entre outras, para o enfrentamento das situações-problema das grandes demandas da população.

Na zona rural, os rondonistas visitaram seis agrovilas que desenvolvem a técnica agroflorestal, que consiste na conjugação de árvores frutíferas com canteiros de hortaliças e plantas medicinais.  Todas estas atividades buscaram combater a pobreza e a desigualdade social em zonas periféricas e rurais, que se encontram em situação de risco.

Porto de Pedras, cidade litorânea do leste alagoano com 8.419 habitantes, cujo IDH é de ‎0,499, considerado muito baixo pelo Programa das Nações Unidas para o desenvolvimento – PNUD, possui como principais problemas a questão do consumo de drogas, especialmente o álcool, e um alto índice de gravidez na adolescência.

As oficinas ministradas buscaram responder a essa demanda, trazendo discussões e esclarecimentos aos jovens e adultos sobre as doenças sexualmente transmissíveis – DST’s, a exemplo da AIDS, sífilis, entre outras, além do uso correto dos preservativos, a fim de explicar os meios de prevenção de uma gravidez precoce, ressaltando a importância das noções de educação sexual.

Na oficina sobre direitos sociais do idoso, após a exposição conceitual sobre a temática, os rondonistas promoveram um momento de lazer em que ensinaram aos participantes noções de artesanato, com a utilização de materiais simples de corte e costura para a confecção de fantoches. Já na oficina de resíduos sólidos, o objetivo foi conscientizar a população para a coleta seletiva. Outra iniciativa foi a criação da oficina chamada horta na escola, cujo objetivo foi incentivar a importância de uma alimentação saudável.



Quebrangulo, também chamada de Veneza alagoana, é um município do norte de Alagoas, com cerca de 12.000 habitantes (2007) e fundado em 1872. Além de diversas oficinas e cursos para a capacitação de agentes comunitários de saúde e servidores públicos das áreas da Educação e da Administração, os rondonistas têm desenvolvido ações de formação e informação com moradores das comunidades rurais, como São Francisco e Rua Nova, onde, através de palestras, oficinas e visitas às casas da comunidade, interagem com a população em uma troca de saberes e experiências, abordando temas como a prevenção de doenças cardíacas, os cuidados com a gravidez, a importância da higiene pessoal e dos alimentos, sobretudo os que não necessitam de cozimento para serem ingeridos.

Tanto na zona rural quanto na zona urbana, as atividades visam levar conhecimento e identificar as lideranças, a fim de que o processo de conscientização e, muitas vezes, de mudança de hábitos, seja continuado pelos moradores que têm influência na comunidade. Dessa forma, o trabalho desenvolvido com profissionais da Saúde ou da Educação oferece a oportunidade de sejam discutidas novas técnicas e metodologias, como a oficina de contação de estórias para os profissionais da educação e o curso de descarte de material hospitalar para os profissionais da saúde.

   

Também é discutida com toda a população a importância do cuidado com o meio ambiente através da coleta seletiva de lixo e do reaproveitamento de materiais que virariam sucata, além da produção de artesanato que pode servir como fonte de renda para os moradores.

Já em Cacimbinhas, município com cerca de 10.000 habitantes, localizado na Microrregião de Palmeira dos Índios e que apresenta um IDH de 0,558, as ações pensadas pelos rondonistas, também possibilitam aos moradores uma melhor qualidade de vida. Nesse sentido, oficinas de como cuidar e aproveitar melhor os recursos hídricos estão sendo desenvolvidas com moradores das zonas urbana e rural.

Com o intuito de potencializar a atividade turística e, com isso, melhorar a renda per capta da população, já foram realizadas oficinas de capacitação para os gestores municipais. Outro aspecto importante ligado à questão do turismo enquanto fonte de renda, é a conscientização sobre a importância de se cuidar do meio ambiente através da colocação de lixeiras pelas ruas da cidade, da construção de fossas sépticas e da utilização de materiais comuns para a construção de sistemas que permitam uma melhor filtragem da água, evitando, assim, uma série de doenças adquiridas pela ingestão de água contaminada.

   

O cuidado com a saúde e como proceder em situações de acidentes foram temas de minicursos que contaram com um grande número de pessoas. Nesses minicursos, os participantes tiveram a oportunidade de conhecer e exercitar os procedimentos necessários para socorrer vítimas de acidentes de qualquer natureza, desde os domésticos até os de maiores proporções, como os que envolvem passageiros de ônibus e outras viaturas que transportam estudantes, por exemplo.

As ações descritas acima são uma pequena mostra do conjunto de propostas desenvolvidas pelos 240 jovens universitários, de várias regiões do Brasil, que estão atuando nos 12 municípios alagoanos, contemplados com a Operação Palmares, do Projeto Rondon em 2018.


Texto: Ana Beatriz Machado, Valéria Amim e Antonio Xavier

Fotos: Ana Beatriz Machado, Lygia Andrade, Luciano Rodrigues e Natanaellin Begnami

Rondonistas dão continuidade à Operação Palmares, em Alagoas

Fonte: Comunicação Social - UESC

Compartilhe Imprimir

RONDON

Ministério da Defesa - Esplanada dos Ministérios
Bloco Q - Cep: 70.049-900 - Brasília/DF

Fale Conosco

MINISTÉRIO DA DEFESA